Menu
Blog Infra como Código

10 dicas para fazer uma automação de TI mais eficiente

automação de ti

Cada empresa tem uma forma muito particular de iniciar um processo de automação de TI, pois cada uma terá particularidades e um cenário inicial distinto. Todos esses fatores tem que ser levados em consideração durante o planejamento de um processo de automação: não existe uma receita única, simples ou fácil que vá atender igualmente a todas as empresas. Existem diversos modelos, alguns desafiadores, outros complexos, ou minimalistas, e todos estes precisam ser estudados e adaptados para a realidade de sua organização. 

Ainda assim, é possível aplicar algumas dicas básicas para facilitar esse caminho e ajudar os entusiastas da automação a driblar problemas comuns nos primeiros passos da implementação de iniciativas deste tipo. Conheça algumas delas:

  1. Antes de iniciar o processo de automação, crie métricas dos ambientes, serviços e sistemas envolvidos. Isso é importante para que se possa comparar o cenário inicial com as modificações realizadas, medindo os resultados e os ganhos advindos da automação com precisão.
  2. Defina requisitos claros para a sua automação levando em conta os três eixos “Orquestradores, Gerentes de Configuração e Provisionadores”. Para uma automação realmente eficaz, todos esses eixos devem ser criados e integrados entre si.
  3. Crie um grupo de estudo para ferramentas de automação, estude pelo menos duas opções de cada eixo.
  4. Use o GIT para gerenciar e versionar o código de sua infraestrutura, pois é impraticável realizar a automação sem o versionamento (clique aqui para saber mais sobre o GitLab).
  5. Sobre os requisitos, crie uma tabela e pontue cada ferramenta até encontrar aquela que se encaixa nas necessidades de sua organização (Ex. Gitlab para versionamento, Choria.io para orquestração, Puppet para gerenciamento de configurações e Razor para provisionamento).
  6. Tenha algumas precauções com a escolha de cada ferramenta: ter um representante/parceiro local é essencial para garantir um suporte quando necessário. Verifique se existem treinamentos públicos, certificações e profissionais qualificados e disponíveis no mercado. Tudo isto deve ser considerado, pois fazem parte dos riscos envolvidos no projeto.
  7. Tenha o cuidado de escolher ferramentas que permitam integrações e que possuam APIs robustas e extensíveis.
  8. Defina políticas internas na organização que orientem o uso de automação em todas as áreas e segmentos de TI, sendo que os novos sistemas e serviços já devem ser desenhados pensando nas ferramentas que vão provisionar e gerenciar aquele serviço – a instalação manual não deve mais ser permitida.
  9. Se possível, forme um time de automação dedicado a pesquisar, implementar e guiar os outros times nos novos processos de automação da organização.
  10. Se possível, crie um ambiente separado padronizado e automatizado, e proponha a migração dos ambientes legados para esse novo ambiente, padronização apenas via sistemas automatizados. Com o tempo, todos os sistemas críticos e importantes estarão no novo ambiente.

Ao seguir essas dicas simples, você poderá desenvolver com mais facilidade o seu processo de automação de TI e agregar valor a ele. Se você tiver alguma dúvida sobre o assunto, entre em contato conosco pelo nosso site ou pelas nossas redes sociais.