Menu English version
Blog Infra como Código

Aplicações automatizadas: a diferença entre o Sonatype Nexus e as outras ferramentas

Nós vivemos em uma economia baseada em aplicativos: o software tornou-se a arma estratégica para a competição empresarial em uma escala global. Por isso, a inovação precisa ser sempre um dos principais objetivos das equipes de desenvolvimento e operações.

Para competir de forma mais rápida e com menor custo, as empresas não estão apenas criando software – elas estão abraçando o DevOps para fabricar aplicativos usando uma quantidade infinita de componentes de código aberto e processos de automação.

Por isso, é crucial ter as ferramentas ideais para integrar a governança de código aberto em todas as fases do pipeline DevOps e controlar automaticamente como os componentes fluem durante todo o workflow de desenvolvimento.

 

Expressões similares, resultados distintos

À medida que mais equipes se adaptam ao desenvolvimento nativo do DevOps, a Sonatype e os seus concorrentes estão usando expressões semelhantes para descrever a capacidade de se integrar com as ferramentas de pipeline existentes e a possibilidade de aplicar automaticamente as políticas de código aberto em todo o ciclo de vida do desenvolvimento.

Então, qual é a diferença entre essas soluções? Por que o Sonatype Nexus é melhor que os seus concorrentes?

A resposta é simples: automated enforcement.

O Sonatype Nexus é a única ferramenta que oferece a inteligência open source necessária para habilitar a aplicação automática de políticas em todas as fases do pipeline DevOps das organizações.

 

Aprendizados durante a jornada

Uma década atrás, as organizações começaram a tomar medidas para controlar como os componentes de código aberto estavam sendo usados ​​por suas equipes de desenvolvimento. No começo, elas criaram uma estratégia que se baseava em listas simples do que usar ou não e procuraram ferramentas para ajudar a garantir a conformidade das aplicações.

Em resposta a essa demanda, a Sonatype introduziu o “Procurement Suite” no já popular Nexus Repository Manager. O feedback dos clientes empresariais permitiu entender as limitações proporcionadas por uma solução de governança “baseada em listas”. O problema é que aplicar uma política em torno de um único ponto é uma abordagem “em preto e branco” para um problema complexo, que exige a visão de “tons de cinza”. Na verdade, não há duas aplicações iguais e, portanto, as soluções de governança devem ser flexíveis e adaptáveis a cada contexto.

Anos depois, vulnerabilidades como o Heartbleed introduziram um novo conceito nos requisitos de automação: a segurança do componente precisa ser dinâmica porque novas vulnerabilidades são frequentemente descobertas em componentes que anteriormente eram considerados “bons”. Por isso, há a necessidade de usar sistemas automatizados para fornecer dados em tempo real para o processo de governança.

 

Dados precisos

A experiência da Sonatype permitiu a compreensão da existência de uma conexão fundamental entre a inteligência de componentes “precisa” e a “aplicação automatizada” de políticas de código aberto. Essa perspectiva permitiu a internalização profunda da diferença entre descobrir os problemas e remediá-los.

No passado, muitas organizações tinham o foco em escanear os componentes para encontrar os problemas existentes.

Recentemente, com o uso do DevOps, vimos essas mesmas organizações buscando novos níveis de eficiência e automação. A segurança das aplicações e as equipes tornaram-se intolerantes ao uso de “componentes vulneráveis” e “falsos positivos” e começaram a procurar uma forma de aplicar políticas de código aberto de maneira contextual e automatizada.  Ou seja, se você estiver fazendo a automação DevOps corretamente, as ferramentas devem ser precisas o suficiente para automatizar a execução de políticas corretamente.

 

Integrações e análise

O pipeline do DevOps é amplo e consiste em muitas ferramentas, processos e componentes diferentes. Por isso, todo fornecedor de soluções de governança de código aberto deve realizar integrações com uma grande variedade de ferramentas de pipeline. Assim, é possível aplicar a automação de políticas de governança em todo o ciclo de desenvolvimento de software.  

À medida que você pesquisa e compara diferentes soluções de governança, é fundamental que você entenda: o que exatamente está sendo automatizado? A ferramenta realmente automatiza os controles de governança e a aplicação das políticas? Ademais, qualquer ferramenta que não tenha aplicações automatizadas dentro do workflow NÃO poderá ser escalável e NÃO produzirá valor para a sua organização.

 

Conheça o Sonatype Nexus

A automatização da aplicação de políticas de código aberto é cada vez mais relevante para o trabalho das equipes DevOps.  Além disso, a ferramenta precisa ser confiável o suficiente para que você possa automatizar e escalar o seu programa de governança e controle de componentes de código aberto com confiança e segurança.

O Nexus é o repositório de componentes mais popular do mundo, com mais de 120 mil usuários/instalações em empresas de diversos países. A Instruct é parceira oficial da Sonatype para a realização de projetos e consultorias estratégicas com o Nexus no país. Para saber mais, clique aqui.

Post produzido em parceria com a Sonatype.